segunda-feira, 28 de junho de 2010

Capitulo NOVE- Vai uma mãozinha de Super-Herói?

Novo por aqui? Leia o Capitulo ZERO

-Nós precisamos de uma carona...-Disse Haley

-Minha mãe me deu isso- Shock mostrou um tubo pelo qual fez sair um tapete mágico um pouco menor que o de sua mãe.

-Caraca! Um tapete zero Km, Nissan...-Brian disse- Posso dirigir?

-Você está louco? Esse tapete é da minha mãe...

-Mas se a policia aérea das fadas nos parar... Eu posso me transformar em um adulto, e mostrar...- ele pegou um pedaço qualquer de papel- essa carteira de motorista... Contanto que ele não fica com ela por mais de uma hora...- o papel se transformou em uma carteira de motorista.

Shock o deixou dirigir receosa... Mas até que ele dirigia bem.



Algumas horas depois de viagem Haley pediu para Brian nos deixar um pouco mais a frente. Ele guardou o tapete novamente no tubo e entregou para Shock que o arrancou de sua mão (e como marca registrada deu-lhe um choque)

-Hollywood!- Jimmy exclamou procurando a estrela da Demi Lovato

Logo estava ele e Shock tirando fotos por toda a calçada da fama.

-Não podemos perder tempo...- Haley disse

Os dois seguiram aborrecidos... Pegaram uma carona de taxi, pra ninguém notar um bando de adolescentes em cima de um tapete voador.

Entraram num dos estúdios de cinema, e Haley correu ao encontro de um homem de cabelo preto, roupas chiques e pele pálida.

-Papai!- ela disse e o abraçou

-Filha... O que faz aqui?

-Eu vim te pedir a terceira edição do conto sem nome...

-Ah... Achei que veio fazer uma visita pro velho pai... Como você está grande hein?!

-E se puder...- Haley o interrompeu -Apresentar a Demi Lovato pra aqueles dois...

-EHHHHH- Shock e Jimmy exclamaram e seguiram o pai de Haley, derretidos de alegria.

Haley foi procurar o livro no armário de seu pai.

-Aqui!- ela disse- Pegou o livro e o guardou em minha mochila, como fez com os outros.

Eu, ela, John e Brian fomos procurar Jimmy e Shock para ir embora, no caminho vimos dezenas de atores e atrizes, Brian foi pedir autografo para eles passando pelos seguranças disfarçado de guarda.

Eu fiz o mesmo quando vi meus personagens favoritos dos Gibis...

Homem Aranha, Superman e outros...

É engraçado ver personagens da DC, Marvel e Capcom tomando juntos um cafezinho no fim de expediente.

Alguns minutos depois trombamos com Shock e Jimmy aflitos... Eles disseram que acabaram de ver um monstro de dentes assassino destruindo um cenário caríssimo.

Fomos correndo ajudar, mas os super heróis voaram, correram e lançaram teias a nossa frente...

-Não vai me dizer que...

-Não vamos perder tempo explicando que SIM ELES TEM PODERES! Agente precisa ir ajudar

-O.K.- eu disse



Jimmy se transformou em um garoto de gelo e congelou o braço do monstro.

Wolverine cortou o braço congelado do monstro, e depois veio pedir para Jimmy virar dublê do Bobby, que por acaso estava de férias.

O homem de dentes regenerou seu braço, e ficava cada vez maior.

Ele contra atacou acertando Jimmy e Wolverine.

Eu pulei em cima dele e o atirei contra o chão, a mulher maravilha o prendeu com seu chicote.

Edward Cullen usou poderes de brilhar na luz, mas não foi de muito importância.

Shock, Ravena e a feiticeira Escarlate se juntaram em um ataque triplo e o seguraram acima do chão, fazendo ele explodir em mil dentinhos... Os dentes começaram a se juntar novamente, formando um rosto que não me era estranho.

-Lindsay!-eu gritei- achei que estava do nosso lado depois de ter acontecido aquilo com o... Murillo.

-Não seja tolo!- Murillo disse saindo das sombras- Eu estou bem aqui... Eu quero me vingar, e por sua cabeça de lobo na sala principal do meu castelo... E Lindsay estará sempre ao meu lado... Não é meu amor?

-Sim...- ela respondeu- isso é só um aviso Lance... Só um aviso de todo o caos que vai acontecer...

Ao ouvir a palavra Caos, (Chaos como Jimmy preferia dizer) Jimmy ficou sorridente, como fazia de vez em quando... Esse era um dos meus medos... Do jeito que estava, o feitiço que prendia sua segunda alma no espelho estava sendo quebrado.

Nisso Murillo e Lindsay desapareceram nas sombras.


Capitulo DEZ

Capitulo OITO- Uma kitsune de Beverly Hills. Segunda Parte

Novo por aqui? Leia o capitulo ZERO

Quando notei estava em um novo lugar, a tal terra dos sonhos... Murillo, ou Morfeus estava me esperando em uma grande mesa, sentados a sua volta estavam meus amigos.


Estavam todos presos nas cadeiras, ao lado de Morfeus estavam sentados mais dois Oneirois:

Icelos e Phantasos... De pé ao lado dos três estavam Lindsay e Karispuck.

Lindsay tinha asas de fada, e usava um vestido azul claro repleto de dentes e Karispuck agora tinha calda e orelhas de raposa...



-Que comecem os Jogos!- Murilo gritou

De repente nós estávamos numa floresta, eu e meus amigos.

A frente havia uma porta, que nos disse para entrar, nós obedecemos, e fomos para um lugar escuro, porem a mesma floresta.

E quando nos demos conta estávamos fugindo de um ser meio homem meio leão.

Ele nos encurralou num precipício, e nos empurrou, lá embaixo, sentindo dor, a Lindsay, fada dos dentes, nos pediu nossos ossos se quiséssemos desistir, mas antes de qualquer um dizer algo escutamos uma voz vindo das sombras:

-Já chega!

Era Karispuck, agora uma raposa, com três caldas.

-Calada!- disse Murillo que nos observava

Ela soprou labaredas sobre ele, virou novamente uma garotinha japonesa e nos soltou.

Nós corremos pela floresta e demos de frente com dois portões, um de ossos e um de marfim, Karispuck abriu o de ossos e nos mandou entrar, enquanto seus amigos vinham atrás tentando nos pegar de volta.

Estávamos no Reino de Morfeus, agora Murillo.

Era um lugar bonito, mas ele era só uma grande miragem, que brilhou e pudemos ver sua verdadeira face.

Haviam fontes de água esverdeada, o céu estava escuro, e estava deserto... Haviam apenas uma meia dúzia de pessoas, algumas já cansadas desapareceram.

Nós estávamos andando num grande tapete vermelho, no meio do reino, que dava para um grande castelo negro, dentro haviam dezenas de artefatos, e Karispuck nos levou à uma grande sala, onde eram guardados milhares de livros:

-Aqui estão os livros que nunca foram escritos- ela disse- vocês também podem encontrar artefatos, como vidas que nunca nasceram- ela apontou para potes com destroços de bebes- e sonhos que nunca foram realizados- ela mostrou um grande corredor que dava para uma sala gigante que estava transbordando de coisas.

Haley andava entre as prateleiras vendo livro por livro até que encontrou um em especial

-Aqui! O livro que meu tio nunca escreveu!

-O que?

-Sim! A segunda edição desse livro que estou lendo... Está espalhada por diversos lugares... E eu encontrei o número dois... Estou muito contente...

-Você não pode levar os livros daqui- Karispuck disse

-Esse é da minha família... Se eu não pega-lo posso escrevê-lo de trás para frente...meu tio já me contou todas as histórias desse livro...

Karispuck não disse nada

-Como vamos sair daqui?- perguntei

-O jeito é ligar para minha avó...- Karispuck disse

Ela pediu um celular.

Murillo e seus irmãos chegaram... Karispuck só pode dizer:

-SOCORRO!

E eles pegaram o celular e desligaram antes de sua avó responder.

Lindsay fez surgir seres de ossos das sombras, que nos seguraram e prenderam numa parede alta.

Eles nos açoitaram, e quando estava cansado eu desmaiei.

Karispuck falou comigo através do sonho, disse para mim me transformar em lobo.

Eu acordei com a vista embaçada... E vi meus amigos machucados, olhei para Karispuck, que fez um sinal positivo com a cabeça.

Eu obedeci sua ordem e me transformei em lobo, ela fez o mesmo se transformando em raposa, e com minha força sobre humana pude quebrar minhas correntes, mas mesmo assim não conseguiríamos segurar Murillo.

Karispuck atirava labaredas de fogo contra eles e Murillo contraatacou, com uma espécie de poder psíquico que nos fez ter uma dor de cabeça maior do que a de qualquer um, tanto que meu nariz sangrou. E eu voltei a ser humano.

Lindsay mandou-o parar, ele estava indo longe de mais mas ele não obedeceu

-Calada Lindsay! Você não pode mandar em mim! Nunca mandou!

Os irmãos disseram o mesmo para ele mas novamente ele não deu ouvidos...

Eu achei que iria morrer, até que algo arrombou a porta.

Era uma enorme Kitsune dourada com nove caldas, ela atirou labaredas de fogo contra Murillo, e o atirou contra a parede;

-Vovó!- Karispuck gritou, e se transformou em uma Kitsune também;

A avó de Karispuck deu um golpe em Murillo que ficou desacordado;

As duas vieram comigo ajudar a tirar meus amigos da parede, mas eles caíram sozinhos de lá, Lindsay agora do nosso lado havia tirado seu feitiço.

Nós nos apressamos a sair dali, e eu acordei no meu quarto novamente.

Já era de manhã, desci junto com meus amigos e no saguão estavam Lindsay, Karispuck e sua avó.

-Sinto muito por ontem- disse Lindsay- nós só queríamos pregar uma peça... Mas tudo fugiu do controle.

-Onde está Murillo?-perguntei

-Eu não sei- Lindsay disse amuada

Nós nos despidimos, e Karispuck veio falar conosco

-Eu quero ser guardiã de vocês... Quando precisarem, eu aparecerei nos seus sonhos

Ela foi uma ótima aliada... Poderíamos confiar nela como guardiã... A pequena Kitsune de Beverly Hills...



Eu ainda me perguntava sobre Murillo, mas eu pude entender: ele disse que era feliz... E agora era triste... Seu reino era triste, e não havia quase ninguém lá... E depois eu me lembrei, da sala de entulhos... E da grande biblioteca... Ele só se sentia inútil.

Mas eu sinto... Que seu desaparecimento não é um bom sinal...



-Ei! Murillo! Venha se junte a mim... Ser bonzinho não te ajuda em nada! se junte a mim!

Capitulo NOVE

Capitulo SETE- Uma kitsune de Beverly Hills

Novo por aqui? leia o capitulo ZERO

Acabamos de sair do West Los Angeles... Estamos sobrevoando Beverly Hills

-Crianças! Eu só posso levá-los até aqui!- Sra.M disse

O tapete começou a reduzir a velocidade, e logo estávamos em uma das ruas de Beverly Hills

-Ali à frente tem uma pensão onde vocês podem passar a noite, aqui está o endereço- ela nos deu um papel - Filha leve algumas dessas poções... Boa sorte, não esqueçam de ligar

-O.K. mãe... Tchau, tchau!



Mais pra frente encontramos a tal pensão que a Sra.M havia falado... Era uma casa antiga, de quatro andares, marrom.

Com uma grande porta de madeira e varias janelas.

Quando eu fui me aprontar para bater na porta ela se abriu sozinha.

Por dentro a casa parecia ser bem maior, tinha uma grande sala de recepção, e dezenas de portinhas que seguiam por dois corredores laterais, no meio havia uma grande escada com um tapete vermelho que dava para os outros três andares, o assoalho rangia enquanto andávamos até o meio da sala.

Uma garotinha japonesa saiu do nada e veio nos receber

-Boa tarde!- ela disse- Estão procurando um quarto?

-Sim...- respondi- você não é meio...

-Jovem? Sim, sou... Minha avó é dona desse estabelecimento, ela deu uma saída e me deixou no comando. Meu nome é Karislenne, qualquer problema podem me chamar pelos telefones dos quartos.

-O.K. er...

-As chaves... Sua mãe já pagou a estadia senhorita... M - Karislenne disse- o numero do quarto está escrito nas chaves.

Ela nos levou até o corredor do segundo andar e disse para continuarmos subindo.

Parecia que a escada não acabava, até que encontramos um velho elevador, subimos até o ultimo andar, lá estava nosso número, era o maior quarto... Mais que um quarto, estava mais para uma casa, haviam seis quartos, uma grande sala com uma vista de toda a cidade, uma cozinha grande, dois banheiros e mais um monte de coisas pra agente fazer.

Cada um de nós entrou num quarto sobrando apenas um quarto trancado.

Cada quarto era diferente do outro, e tinha tudo o que cada um gostava, era como um paraíso.

O meu era repleto de quadrinhos, eu poderia ler a noite toda.



-Boa tarde- Karislenne recebia um novo cliente

-Boa tarde, eu sou Brian... E estou procurando alguns amigos...

-Ah sim, eles estão hospedados aqui... Vá para o ultimo andar....

Karislenne dessa vez esperou lá embaixo, deixou Brian subir sozinho, quando ele estava fora de alcance mais duas pessoas chegaram, deviam ter a mesma idade de Karislenne, uns 13, 14 anos.

-Murillo, Lindsay...

-sim...

-não façam nada muito maldoso...

-Karispuck! Não seja tão boazinha- respondeu Lindsay- nós não vamos fazer nada demais.

Karislenne, agora Karispuck, ficou emburrada mas logo voltou ao normal.

-Murillo está é sua hora- disse Lindsay

-Sim senhora



Neste momento Brian já estava lá em cima... Mas não vale quando ele vira um guepardo.



-Brian?- disse Haley

-Eu... Ham... Eu já enganei a diretora... Foi difícil mas deu... Então eu decidi...

-Tudo bem... - Haley voltou a entrar em seu quarto, e Brian entrou no quarto que havia sobrado, desta vez estava aberto.

Ninguém estava com sono ainda, John estava assistindo TV, Haley estava lendo seu livro, Shock escutando música e Brian estava treinando suas imitações.

Enquanto eu lia meus Gibis no quarto.

Alguns minutos depois uma tempestade de areia começou a entrar pelo quarto, uma areia que dava sono...

-Hum... Meu trabalho está feito- alguém de trás de uma nuvem de areia disse

-Quem está ai?- eu disse sonolento

-Murillo, mais conhecido por SandMan, ou João Pestana... Mas eu odeio esses dois nomes... Chame pelo meu nome real, Morfeus.

Ele usava roupas pretas como as de um gótico, tinha cabelo liso desgrenhado, e os olhos da cor da noite com a pele pálida.

-Imaginei que o deus dos sonhos fosse alguém mais... Alegre

-Eu era... Mas não temos mais tempo para conversinhas- ele lançou mais areia contra mim, e logo já estava dormindo...

Capitulo OITO

domingo, 27 de junho de 2010

Capitulo SEIS- Chamada a cobrar

Novo por aqui? leia o capitulo ZERO

Shock e eu chegamos em casa cansados, Sra.M a mãe de Shock já tinha ido dormir... Shock foi fazer o mesmo, entrou no seu quarto e se jogou na cama sem nem trocar de roupa.


Eu vesti minha regata e uma calça de moletom, mas quando me deitei o meu celular tocou:

Uma chamada a cobrar.

-Alô?- eu disse cansado

-Lance!? Eu to no ponto de ônibus... Me encontra aqui, e trás roupas e coisas pra comer...

-Hum? O.K. -eu desliguei o celular chorando por ter que deixar meu cobertor, vesti uma outra roupa qualquer e guardei umas roupas na minha mochila... Peguei uns biscoitinhos e quando fui ir embora Shock veio atrás de mim

-Aonde você vai?

-Eu não tenho certeza... Mas acho que Haley encontrou alguma pista... Sei lá

-Algo a ver com o portal?

-Deve ser

-Eu vou com você... - Ainda bem que Shock troca de roupa rápido... Alguns minutos depois ela estava de volta com uma mochila cor de rosa e preta, cheia de caveirinhas.

-Estou pronta... Vamos?

Nós dois fomos de ônibus para lá, e encontramos Haley junto com John e Jimmy.

Antes que pudéssemos falar qualquer coisa o celular de Shock tocou no ultimo volume um dos sucessos do Green Day.

-Alô?- ela perguntou

Nós conseguimos escutar só uns roidinhos irritados... Eu tentei usar minha super audição canina, mas Shock desligou o celular antes disso...

-Quem era?- perguntei

-Minha mãe... Ela está preocupada, e vai vir trazer poções para eu me proteger... E também vai nos dar uma carona...

Jimmy e John deram risada mas logo pararam quando Shock os fulminou com o olhar, e lhes deu um choque.

-Haley... Nós vamos buscar o portal não é?

-uhum... Eu estava andando pela floresta, recitando as palavras do Oráculo... E pensei em uma coisa

-Em que?

-Não posso dizer... Nosso vilão pode estar em qualquer lugar... Ele pode tentar desviar nosso caminho ou sei lá.

Um vulto passou rapidamente na nossa frente

-O que foi aquilo?- perguntou Jimmy

-Minha mãe- respondeu Shock

-Achei que ela viria de carro

Shock acenou com a mão que brilhou como uma lanterna, ela puxou a mão rapidamente, dois segundos depois um grande tapete voador Hyundai Tucson IX35 Cinza parou na nossa frente

-Subam crianças- Sra.M disse
Nós subimos, e em alguns segundos estávamos bem longe de casa...

-Haley...- eu disse

-Oi?

-onde está o Brian?

-Eu disse pra ele ficar, e enganar a diretora... Pra explicar por que vamos embora.

-Mas ele seria um bom aliado, com os poderes metamórficos...

-Eu sei... E também sei que ele é teimoso o bastante para vir conosco depois de cumprir o combinado

Eu admirava a inteligência de Haley... Ela pensava em tudo, e cada vez minha visão dela ser arrogante e antipática mudava...

-Não se preocupe com o meta-mofo... Ele usa a cabeça também...

Tá ela pode ser um pouquinho arrogante...

Capitulo SETE

Capitulo CINCO- Fadas invadem a pista

Novo por aqui? Leia o capitulo ZERO

Nós estávamos voltando para casa fomos até o ponto de ônibus junto com Jimmy, John e Brian.


Eu mau acreditava que Jimmy, ou o outro Jimmy havia feito aquilo a algumas horas atrás, eu só estava tentando esquecer, e os outros também

-Vamos pro Ringue de gelo- eu disse

-Oi?- Jimmy perguntou

-pro Ringue de gelo... Esfriar a cabeça

-Eu até que estou precisando... A algumas horas estava atirando fogo...

-Eu não posso- John disse- Tenho que chegar em casa no horário... Vão vocês depois me contem

Ele piscou e deu sinal para o ônibus.

-Tchau



Nós estávamos lá, em alguns minutos... O Ringue era ali perto...

Achei engraçado ver Haley, uma menina tão durona de luvas e gorro cor de rosa.

Jimmy estava adorando... Era um paraíso de gelo para ele, as vezes quando as crianças não estavam vendo ele fazia obstáculos de gelo para elas caírem.

As crianças ficavam irritadas... E falavam grunhidos de insatisfação... E cada uma usava uma roupa de cor diferente... Azul, vermelho, verde... Um arco Iris...

Jimmy não perdeu tempo, já entrou no Ringue... Nós fomos pegar os patins, um ogro nos atendeu, para se disfarçar ele deixou a barba crescer, usava boné e óculos escuros.

-Boa tarde! Quais são os seus tamanhos?

-Er... O meu é 40- eu disse sussurrando

As meninas deram risadas, e vieram pegar seus patins também, Brian fez graça, e mostrou seus talentos com o Ogro... E como eles são meio lentos, ele o deixou maluco... Até que parou de imitá-lo e pegou seus patins.

O Ringue não estava muito cheio, estavam as crianças com roupas iguais, apenas alternando nas cores... Um casal de senhores, um homem com sua filha, uma senhora gorda e uma família de dez pessoas...

Uma das crianças de vestido dourado estalou o dedo, e uma música eletrônica começou a tocas, todas as meninas de vestidos coloridos fizeram uma performance de dança Hip Hop...

Quando eu olhei melhor vi que eram todas fadas;

-Elas são fadas?- Brian perguntou

-Sim- respondi- e elas não podem ficar aqui... Cedo ou tarde os humanos vão notar, e isso não vai ser bom...

-Eu posso tentar segura-los... Sabe congelá-los por umas horinhas, eles não vão lembrar de nada...

-Jimmy!- retrucou Brian- isso é meio... Esquece... Deixa que eu cuido disso...

Brian brilhou um pouco, e depois transmutou para uma senhora rechonchuda, com asinhas, e uma varinha de condão, com uma coroinha de flores e um vestido reluzente.

-Uma fada?- perguntei

-Não qualquer fada... A rainha delas- Brian disse com uma voz feminina engraçada

Ele vestiu um sobretudo beje e afastou as pessoas que aplaudiam a dança

-Pronto crianças! Já chega... Mostraram muito da dança! É melhor guardar o final para um outro Show com mais pessoas...

As fadas pararam rapidamente e saíram em fila do Ringue de gelo

-Obrigada pela atenção... Até um próximo Show- Brian disse ainda como fada e sussurrou algo como: espero que nunca aconteça

Voltou para a nossa direção enquanto transmutava para sua forma normal Européia.

E quando nos demos conta... Já era hora de ir embora.

Brian Transmutou em uma ave, e foi embora voando, Haley foi pela floresta e eu e Shock pegamos uns dos últimos ônibus que vinha vindo.

Mesmo tão calmo, eu sabia que algo estava muito errado e se não fechássemos aquele portal logo... Algo terrível vai acontecer...

Capitulo SEIS

sábado, 26 de junho de 2010

Capitulo QUATRO- Medo de espelhos

Novo aqui? Leia o capitulo ZERO

Hoje quando me separei dos meus amigos para ir a aula de Jardinagem, aconteceu com Jimmy o que ele se prevenia não acontecer a anos.




-Sala número 237... Hum... Aqui!

Meu nome é James, na verdade todos me chamam de Jimmy, talvez por combinar mais com o meu jeito inteligente...

Depois do almoço, nós fazemos um curso... E eu escolhi de Geometria.

Desde pequeno, depois de um incidente, vivo fugindo de espelhos ou qualquer outra coisa que possa me refletir... Todos dizem que isso é fobia, mas não tem nada a ver com isso...

Pra minha sorte, o professor de Geometria levou um espelho, e quem ele chamou como voluntário?

No momento neguei, mas fui carregado pelos alunos, eles me largaram lá, e infelizmente eu abri os olhos.

Ali estava o outro eu na minha frente. Ele sorriu sarcasticamente:

-A quanto tempo não nos víamos- ele disse

-Desde... Desde

-O acidente... Haha! Isso é tão divertido... E a quanto tempo na saio desse espelho...

-Não faça isso! Não se atreva

No momento houve um terremoto, e minha mente se transportou... Para dentro do espelho, agora minha segunda personalidade comandava meu corpo... E ele usaria seus poderes para o mau... Eu tinha que fazê-lo olhar para o espelho novamente...

-Sr James? Algum problema?- o professor perguntou

-Calado! Homem tolo!- o outro eu disse

Ele atirou uma bola de fogo, sorte que meu reflexo estava por perto e pude tapar seu ataque com o minha parede de defesa de gelo...

Mas ela não iria agüentar por muito tempo... E se ele saísse de perto de qualquer coisa que refletisse, eu não poderia detê-lo... E nem o fazer voltar para o espelho.

-Tolo! Não tente me deter!

-Você não sabe o que está fazendo!

-Calado!

Ele saiu batendo a porta, enquanto o professor e os alunos olhavam perplexos...

Quando eu tinha oito anos, descobri que eu tinha uma segunda personalidade do mau... Como? Eu matei o meu irmão... Eu coloquei fogo em casa... Eu não podia me perdoar por aquilo! Mas eu soube que eu só não podia olhar para o meu reflexo... Meu irmão, agora um dos espíritos da natureza, selou-o no espelho, para que eu não matasse mais ninguém... Mas esse feitiço tem restrições... E agora, eu cometi o maior erro da minha vida, olhei meu reflexo... E ele está por aí... Fazendo mau para alguém.



Jimmy neste momento está com meus amigos na minha classe... Minha Clarividência é limitada, não estou enxergando-o muito bem... Mas posso ouvi-los perfeitamente.

Algo sobre ir em busca do portal, sobre descobrir quem o abriu, e tentar mandar as outras criaturas mágicas de volta para lá.

Mas a partir daí não ouvi mais nada.

Ao contrario... Eu vi... Eu, ou melhor, o outro eu... Com deu um soco flamejante na carteira, deixando todos quietos...

-Ninguém vai levar as criaturas de volta! Eu quero ver o CHAOS!

Todos o olharam intimidados, nunca tinham visto aquele outro eu...

Então vi a minha chance... Shock, tinha um espelho em cima da mesa... Eu me apareci para ela no espelho.

-Shock! Shock!- ela não me ouviu, então tive uma idéia- MEGAN!

-Quem foi!?

-shhhhh... Olha aqui embaixo! Mostra o espelho para ele?

-Por que?

-Só mostra o espelho para ele!

Antes de ela mostrar o espelho ele atirou fogo no mesmo, que explodiu em estilhaços de vidro... Mas ele se esqueceu... Agora teria milhares de eu... E calculando a velocidade um dos cacos de espelhos pacaria exatamente perto dos olhos dele...

Bem...agora!

Os cacos de vidro caíram no chão, eu tapei meus olhos

-Jimmy? Tudo bem?

-Limpem esses pedaços de vidro agora! Por favor

Eu havia conseguido colocá-lo no espelho novamente, mas agora tenho que ter cuidado reforçado, para não ver meu reflexo. Alimentar mais, meu medo de espelhos.

Capitulo Cinco

Capitulo TRÊS- Uma aula de jardinagem com Deméter

Novo por aqui? leia o capitulo ZERO

Eu ainda não me recuperei muito daquele encontro com o gnomo... Mas minha Fome já foi suprida por umas pessoas generosas do refeitório que me deram biscoitos...


Depois do almoço, nós fazemos uma aula diferenciada, cada um escolhe sua área e passa o verão tendo aulas sobre aquilo... Eu escolhi botânica e Jardinagem... Eu era o único...

Fui indo sozinho para o Jardim, vindo de lá avistei um belo grou... Que voou rapidamente... E agachada mexendo na terra estava uma bela senhora.

Ao me aproximar notei que flores brotavam em segundos quando ela estalava os dedos, mas as plantas se retraíram quando a senhora se assustou comigo:

-Oh... Você deve ser Lance, é triste saber que tão poucas crianças se interessam por plantas

Eu não respondi

-Ah me desculpe, sou Deméter a deusa da colheita...

Eu ri

-Eu devia imaginar...-disse- hoje está sendo um dia estranho.

-Eu imagino como é estar no seu lugar...

Eu assenti, enquanto ela fazia crescer ramos de flores pelo Jardim...

Depois de um tempo aprendendo a tratar de plantas eu a perguntei:

-Está acontecendo alguma coisa?- eu me atrevi- por que a senhora está aqui?

-Eu só queria conhecê-lo... O oráculo está louco, falando somente daqui...

-O oráculo? Como assim?

-Er... Ela está na sala numero 184 agora... Você poderia ir visitá-La

-O.K.- eu me despedi, e fui para a tal sala, enquanto repetia o número 184 várias vezes para não esquecer.

-Boa tarde- eu abri a porta lentamente enquanto ela rangia

-Hércules?- ela perguntou perplexa

-Professora Jubileu?- eu perguntei assustado

Jubileu foi minha professora de história desde a sexta série... Eu nunca imaginaria que ela é o Oráculo...

Ela estava com roupas antigas gregas, usava o cabelo cinzento preso em um coque, um óculos redondo

Ao redor dela havia uma fumaça sufocante, que vinha de todos os lados...

-Não sou Jubileu... Sou o Oráculo de DELFOS- ela respondeu- Uma dracma como doação para o santuário?

Eu procurei pelos meus bolsos uma dracma... Mas eu mau sabia o que era isso, como eu disse EU NÃO ENTENDIA A AULA DELA...

De trás de mim uma moeda brilhante de ouro rasgou a névoa sufocante, e Delfos a pegou com a mão enrugada...

Eu olhei e Haley estava atrás de mim

-Eu guardava essa dracma para uma ocasião importante... Acho que essa é

-obrigado- eu disse

O oráculo de Delfos virou sua cabeça bruscamente

-Eles estão aqui... Estão escapando! Precisam fechá-lo- o Oráculo disse

-Eles quem?- eu perguntei

-Os seres místicos?- Haley continuou

A fumaça se tornou mais densa, o oráculo de Delfos estava de pé, seus olhos brilhavam fortemente, dezenas de potes de incenso queimavam ao nosso redor, enquanto o Oráculo o aspirava pelas narinas.

O portal foi violado;

Por mãos malignas foi aberto e pelas mesmas mãos será fechado;

Pelos portões estão adentrando as criaturas;

Só quem vos conhece pode salva-los;

Mas pelos amigos devem ser ajudados;



A luz que o Oráculo emitia desapareceu, toda a fumaça foi sugada para dentro dos potes, a sacerdotisa caiu, e logo era Jubileu novamente, que se apressou a guardar os potes...

Lance e Haley saíram perplexos da sala

-Eu não entendi... Como em todas as aulas dela...

Haley sorriu para mim... Pela primeira vez vi seu sorriso... Por um momento ela parecia ser a pessoa mais simpática do mundo.

-Ela fala assim mesmo... Em enigmas... Agora nós temos que descobrir o que significa.

Fiquei aborrecido. Mas já estava bem ao chegar na classe... Brian estava fazendo graça na sala, imitando os professores... Ele tem o cabelo liso castanho, longo, usa uma camiseta preta de gola vermelha, e uma calça jeans reta.

Quando eu cheguei ele veio ao meu encontro, junto com os meus dois outros amigos... E Shock veio com Haley... Queriam saber onde estávamos, e por que o cheiro de incenso.

Haley contou tudo para eles, eu tentei beliscá-La, como ela estava contando essas coisas a simples mortais... Tirando Shock que sabe de tudo, além de ser uma feiticeira...

Mas o que eu não esperava... É que eles...

Capitulo QUATRO

Capitulo DOIS- Tem um gnomo no meu armário

Novo por aqui? leia o capitulo ZERO

-O.K. aquilo foi estranho- eu disse- Samantha, por que nunca me disse que era um fantasma?
-Você nunca me disse que era um lobisomem...

Shock e eu agora nos juntamos a Samantha e Haley, Samantha é uma garota até que legal... Mesmo sendo o desastre em pessoa, e agora a mais recente descoberta, ELA É UMA FANTASMA, que atravessa Tvs...

-Ei! Mas isso é um segredo- respondi
-Um segredo que meio mundo sabe- retrucou Sam
Não disse mais nada.
Quando o ônibus chegou conseguimos achar alguns lugares, e fui obrigado a sentar ao lado de Haley...
Você já deve ter notado que tenho bastante amigas... Desde pequeno ando mais com garotas... Antes por só haver meninos valentões na sala... Agora eu sinto atração de estar por perto, observá-las, como se fossem espécimes em risco de extinção... Mas havia uma garota que mais me intrigava... Era Haley, a garota mais misteriosa que já conheci... (mas não gosto de demonstrar isso, por isso a trato como rival)
Não é a toa que ela é uma Vampira, sempre escondida por detrás de um livro, vestindo roupas pretas...
Tem o cabelo bem escuro com algumas mechas claras, lábios carnudos e vermelhos, olhos verdes e uma pele branca... Pálida... Ela mau percebeu que a observava, mas as vezes me entreolhava aborrecida... Esse é seu único defeito... Ela é ARROGANTE.

-Algum problema?- ela perguntou
-Não... Desculpe- frustrado liguei meu celular numa rádio qualquer, para escutar música pelo caminho.

Desci num ponto antes da escola, para encontrar com meus amigos, dessa vez garotos... Jimmy é um garoto estranho, ás vezes anda de óculos outras vezes não, por um momento me odeia outrora é meu melhor amigo...
Brian já é mais destemido... Quer fazer de tudo... Viajar por ai, participar de aventuras, mas eu nunca vejo ele por seus planos em prática... Só sei que ele é muito bom em imitar as pessoas... Acho que não existe ninguém melhor nisso do que ele...
Agora John... É um garoto normal... Às vezes o atribuo apenas a uma loucura insana... Mas ele é muito legal e simpático... É só isso que eu sei sobre ele... Ninguém conhece seu sobrenome, sua família ou onde mora... Ninguém sabe nada sobre ele... A não ser ele mesmo...

-Vamos?- disse John. Ele usava uma jaqueta preta sobre uma camisa pólo listrada, uma calça jeans escura e um tênis marrom de marca. Tem os olhos escuros e o cabelo preto curto penteado com gel para trás.
-Sim- respondi, ainda me arrastando um pouco no inglês, mas acho que até estou traduzindo-os bem...
Jimmy tinha uma espécie de “Transtorno Obsessivo Compulsivo” , passava longe de tudo que o refletia, poças d’água, espelhos, metais, etc... hoje ele estava usando óculos de grau, e a roupa do uniforme, usa o cabelo curto, aparelho e uma jaqueta azul. Costuma levar a mochila na mão, e ser bom em matemática, outras vezes é melhor em não fazer nada.
Nós demos de cara com a Diretora.

-Estão atrasados!- ela disse
-Sra. Francks?!- disse Jimmy assustado

Por um momento o vi parado perplexo olhando dentro dos olhos da diretora, mas depois notei que estava vendo seu reflexo na lente dos óculos, eu tapei seus olhos com minha mãos... Sabia como ele tinha pavor de reflexos... Estava apenas ajudando, ele ficou em silêncio por um segundo mas depois se acalmou...

-Eu vou perdoá-los dessa vez... Sei como são bons alunos.

Não hesitamos, entramos no colégio aliviados por menos uma bronca... Não gosto de ver a coordenadora Anne Marie... Ela nos dá calafrios... E os olhos cinzentos dela... Eu prefiro nem comentar.
Guardei meu lanche no meu armário e fui para a aula com a professora Jubileu, de história.
Passada suas duas aulas e eu não tendo entendido nada voltei para o meu armário, mas dessa vez havia UM GNOMO COMENDO MEU LANCHE!
Me apressei a encontrar Haley, queria tirar satisfações... Lá estava ela no refeitório:

-O.K. quem colocou esse gnomo no meu armário?
-Ei- disse ela- fale baixo... Você quer que todos escutem isso?
-Não mude de assunto... Você colocou esse gnomo no meu armário ou não?
-Não

Eu estava desconfiado de Haley... Mas eu pude ver verdade em suas palavras, então voltei para o meu lugar... Nisso, alguém passou ao meu lado e me disse:

-Eles estão aqui... Estão escapando! Vocês devem fechá-lo! Eles estão aqui... Estão escapando! Vocês tem que fechá-lo!- quando me virei para ver quem era... Não havia ninguém, acho que eu estou com fome... Não comi nada de manhã nem a tarde...

Capitulo TRÊS

Capitulo UM- O chamado

Novo por aqui? leia o capitulo ZERO

Você já teve que guardar um segredo? Eu tive que guardar um durante toda a minha vida...

Eu tenho 13 anos de idade, sou Brasileiro, e vim de um intercâmbio para os “states” por ser um dos melhores alunos, junto com um grupo de estudantes...

Por enquanto estou hospedado na casa de uma amiga do intercâmbio, cuja mãe trabalha e pra minha sorte tem uma casa aqui. Isso não é o meu segredo... E está longe de ser...


Na verdade eu sou um garoto normal, a única coisa diferente é que eu tenho dentes caninos avantajados, garras e nas noites de lua cheia viro uma fera, com focinho e calda... Não, eu não sou um cachorro...

EU SOU UM LOBISOMEM.

Ahn... Mas agora tenho que desligar o computador... Tenho que ir pro colégio... Tchau!




-Lance... Minha mãe está preparando o café

-Ah ok, Meg... Shock



Meu nome é Lance, Shock é a minha am
iga que eu falei... Nunca a chamem de Megan, se não você leva um choque, literalmente.

Aliás que cheiro de fumaça...



-Sra. M?- eu perguntei- o que houve?

-Nada, nada... só um desastre
-Mãe já disse pra não usar suas poções em comidas, só por um momento, vamos tentar ser uma família normal!- disse Mega, digo, Shock

A mãe de Shock não respondeu

-Acho que hoje vamos ficar sem café... Mas tudo bem, é só fazer um almoço reforçado...- eu disse

puxei Shock que resmungava coisas sobre feitiços e poções... Que subiu para arrumar o material escolar, e eu o mesmo, enquanto via televisão, claro...


De vez em quando dava umas olhadas na TV, para conferir o que aconteceu no meu desenho favorito, mas por alguma interferência chata, a tela ficou com “fantasma”.


Quando ela cintilou intensamente, ficou completamente escura, com apenas um circulo de luz no meio, o qual ficou mais nítido, e em uma mudança de ângulo pude ver um poço, do poço saiu uma figura sombria com os cabelos na frente do rosto, que andava vagarosamente, até chegar bem próxima da tela da TV, com isso eu me afastava para trás, ela continuou a se aproximar, de modo que começou a sair da tela, eu pude ver sua pele intensamente branca, e seus cabelos negros ao balançar mostravam seus olhos expressivos e amedrontadores, logo com as mãos para fora, tentou se apoiar em algo, mas sem perceber a estante alta, caiu de cabeça no chão

-Ai... Cacete

-Samantha?- indaguei


-Ah, oi, eu e a Haley estamos esperando você no ponto de ônibus, vamos embora daqui 7 minutos. SETE MINUTOS!- ao dizer isso um calafrio subiu pela minha espinha e os pêlos da minha nuca se eriçaram.


Com isso Samantha voltou a entrar no televisor, esfregando a cabeça e resmungando palavrões.
Capitulo DOIS

Capitulo ZERO- Prelúdio

Quando se é Jovem, se tem sonhos, quando se é adulto nós podemos realizá-los... Mas isso não nos impede de sonhar quando se é adulto ou realizar nossos sonhos quando se é criança


O único problema, é que os adultos se preocupam muito, deixando de realizar seus sonhos... E as crianças não sonham, se preocupam em impressionar as outras que estão à sua volta.

E assim ninguém mais lê minhas histórias, as histórias que contava para Jake e Will Grimm. E que antigamente eram usadas como exemplos no seu dia a dia...

Hoje são livros esquecidos em prateleiras... Jogados pelos cantos... A deriva no esquecimento.

Por isso vou contar uma nova história

Eu sou Zorah... A fada madrinha e quem cria os contos de fada...

Esta história será sobre uma história... Sobre uma não... Sobre todas as histórias.
Capitulo UM

Ocorreu um erro neste gadget
Twitter Delicious Facebook Digg Stumbleupon Favorites More

 
Design by Free WordPress Themes | Bloggerized by Lasantha - Premium Blogger Themes | Powerade Coupons